Pôr do Sol Cultural difunde arte alagoana e é sucesso nas quatro edições

Desde 2015, na primeira gestão do governador Renan Filho, o Festival Pôr do Sol Cultural ganhou espaço durante a estação mais quente do ano, onde há uma maior circulação turística na cidade de Maceió. O verão chega, e os fins de tarde na orla da capital se tornam especiais; quem passa pela orla tem a oportunidade de conhecer um pouco da cultura alagoana, além de conferir as diversas apresentações artísticas e culturais. Há quatro anos, o Festival é promovido pela Secretaria de Estado da Cultura (Secult) e é referência quando o assunto é difundir a arte alagoana.

Em 2018, o projeto Pôr do Sol Cultural comemora quatro anos de sucesso, e trouxe novidades: um palco aberto e que atribuiu na formação de novas plateias. Ao todo, 15 bandas de música e 15 grupos culturais participaram do evento este ano, promovendo renomados e novos artistas alagoanos.

A cantora alagoana Naná Martins, destaca a alegria de participar pela segunda vez do festival, só que, desta vez, em carreira solo. “São vários os motivos que me fazem estar feliz. O contato com o público alagoano, com quem vem de fora, o clima que a orla de Maceió e seu mar nos oferecem. É algo realmente que nos renova por dentro e por fora. Gostaria de agradecer pela oportunidade de, mais uma vez, levar toda a força dos meus tambores para o povo. Um momento único, que levarei sempre comigo”, conta a cantora.

Elisa Lemos, também cantora alagoana, teve a oportunidade de participar pela primeira vez do projeto. Ela conta que foi uma ótima experiência e uma grande oportunidade de mostrar o trabalho para um público da cidade, assim como para os turistas que nos visitam. “Após o show, turistas vieram falar comigo, contando como foi bom ter conhecido artistas do lugar”, ressalta a cantora, que afirma querer voltar aos palcos do Pôr do Sol Cultural.

A Banda $ifrão, bastante conhecida em todo o Estado por animar o público com o pop rock, participa do evento desde a primeira edição. Marcos Bruno, vocalista da banda, explica que o Festival Pôr do Sol sempre foi considerado como uma vitrine de talentos alagoanos.

“Mesmo para nós, que já temos mais de 15 anos de estrada, é fundamental fazer parte disso para alcançarmos novos públicos e mostrarmos nosso repertório autoral para um público que talvez não tivesse a oportunidade de nos conhecer. São quatro anos de um festival importante para Alagoas, que apresenta para a população um pouco da cultura tão diversificar do nosso Estado”, disse.

A secretária de Estado da Cultura, Mellina Freitas, comemora o sucesso do projeto e afirma que ele deve continuar. “Este projeto foi abraçado pela população alagoana e tem sido um sucesso. É uma oportunidade para os nossos grupos culturais e bandas locais se apresentaram para um público abrangente e receptivo, além de ser uma oportunidade de mostrarmos aos turistas um pouco mais da cultura alagoana”, destacou.

A quarta edição do Festival Pôr do Sol Cultural atraiu centenas de pessoas durante quatro finais de semana. A orla da Jatiúca foi tomada por muitos alagoanos e turistas que passavam pelo local, como é o caso da gaúcha Fernanda Lazarrotto, de 25 anos, que ficou encantada com a diversidade cultural apresentada.

“Alagoas é contagiante. Estou encantada pelos ritmos e cores demonstrados no palco, e com toda certeza quero voltar ao Estado no ano que vem, almejando encontrar novamente um evento tão lindo como esse, que resgata a cultura do Estado. Amei o Pastoril, que eu não conhecia. Também curti muito a voz e violão, remete ao meu Sul. Me apaixonei”, afirmou a turista.

Ascom – 26/12/2018