PF flagra prefeito de cidade da Paraíba colocando R$ 25.000 de propina na cueca

As investigações sobre o pagamento de propinas envolvendo obras da adutora Capivara, no sertão paraibano, revelam que foram feitas ao menos 16 entregas de dinheiro em benefício do prefeito de Uiraúna (Paraíba), João Bosco (PSDB), e do deputado Wilson Santiago (PTB).

O caso foi revelado durante a operação Pés de Barro, deflagrada no último sábado (21.dez.2019). Em uma das entregas, os agentes flagraram Bosco colocando na cueca R$ 25.000, que seriam posteriormente entregues a Santiago.

Segundo a denúncia apresentada pela Procuradoria Geral da República, a quantia foi entregue em 23 de outubro de 2019 por George Barbosa, executivo da empresa Coenco Construções, no Hotel “Vó Itá”, na cidade paraibana de Sousa.

A denúncia revela que no dia do encontro, o prefeito cobrou de George Barbosa R$ 200 mil que ainda estavam faltando das propinas acertadas no âmbito do esquema. O empresário explicou que só havia levado até o hotel R$ 25.000 para que Bosco entregasse a Evani Ramalho, secretária de Wilson Santiago.

As investigações apuram pagamentos de propina no superfaturamento das obras de construção da Adutora Capivara, que se estende do município de São José do Rio do Peixe a Uiraúna. As obras foram contratadas por R$ 24,8 milhões.

A PGR indica que, de outubro de 2018 a novembro de 2019, a empresa Coenco Construções, responsável pela construção, distribuiu propinas no valor R$ 1,2 milhão ao deputado federal e R$ 633 mil em vantagens indevidas ao prefeito.

Os investigados, segundo a PF, devem responder pelos crimes de peculato, lavagem de dinheiro, fraude licitatória e formação de quadrilha. As penas somadas ultrapassam 20 anos de prisão.

OUTRO LADO

Em nota, o advogado Luís Henrique Machado, que defende o deputado, negou irregularidades: “O deputado Wilson Santiago recebe com respeito e acatamento a decisão do Ministro Celso de Mello. Está absolutamente tranquilo e demonstrará, em momento oportuno, a inexistência de qualquer relação com os fatos investigados.

Também por meio de nota, o PTB informou que “acompanhará o andamento das investigações” e que “espera que Wilson Santiago consiga provar sua inocência“.

24/12/2019