Jornalistas decidem manter greve geram após assembleia

Os jornalistas alagoanos decidiram manter a paralisação em uma assembleia realizada na noite desta quinta-feira (27), no auditório do Colégio Marista, no bairro do Farol. Os profissionais rejeitaram a proposta que foi resultado da mediação do pelo Ministério Público do Trabalho em Alagoas (MPT/AL), entre a categoria  e empresas de comunicação.

Para o presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Alagoas (Sindjornal), Izaías Barbosa, a proposta não apresenta nenhuma vantagem aos jornalistas, pelo contrário, volta ao mesmo ponto que provocou a greve: a redução salarial.

Como uma parte da proposta, o negociação resultou no  encerramento do movimento grevista a partir da meia-noite de ontem, 27; manutenção provisória do Acordo Coletivo de Trabalho vigente, em todos os seus termos, pelo prazo de 60 dias;  prazo de 30 (trinta) dias para apresentação do valor referente as três faixas de um plano salarial a ser elaborado pelas empresas, ficando desde já combinado que a apresentação do valor será acompanhada da definição do percentual de profissionais que será inserido em cada uma das faixas; e a garantia de emprego pelo prazo de 06 (seis) meses, contados a partir da data da deflagração da greve, dia 25.

Segundo o sindicato, as empresas – TV Ponta Verde, TV Gazeta e TV Pajuçara – estão em irredutíveis em não diminuir o piso salarial dos profissionais.

Com isso, novas mobilizações foram agendadas para sexta-feira (28), em frente a TV Pajuçara, no bairro do Farol.

28/06/2019